FAMURS E FEDERAÇÃO DAS SANTAS CASAS E HOSPITAIS BENEFICENTES, FILANTRÓPICOS E RELIGIOSOS DO RIO GRANDE DO SUL LANÇAM NOTA DE PREOCUPAÇÃO COM A FALTA DE MEDICAMENTOS PARA UTIS DESTINADAS AO COVID-19.

FAMURS E FEDERAÇÃO DAS SANTAS CASAS E HOSPITAIS BENEFICENTES, FILANTRÓPICOS E RELIGIOSOS DO RIO GRANDE DO SUL LANÇAM NOTA DE PREOCUPAÇÃO COM A FALTA DE MEDICAMENTOS PARA UTIS DESTINADAS AO COVID-19.

A Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul – Famurs, entidade representante dos 497 municípios do Estado, e a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Filantrópicos e Religiosos do Rio Grande do Sul, representante das 269 Santas Casas e Hospitais Filantrópicos gaúchos, vêm, através da presente manifestação externar à sociedade gaúcha e brasileira grave preocupação com os seguintes fatos:


A demanda pelos medicamentos que compõe o kit entubação utilizados nas UTIs destinadas aos pacientes do COVID-19 nos últimos 3 meses deste ano de 2020 já equivale a totalidade daquilo aplicado em todo o ano de 2019.


Ocorre que o acesso a tais medicamentos no mercado farmacêutico tem sido inviabilizado por duas causas principais, a primeira, a alta demanda, e, a segunda, os preços elevados.


É evidente que a gravidade deste problema está acentuada em razão da pandemia do novo coronavírus. Entretanto, deve-se observar que mesmo com o aumento da demanda de tais medicamentos, tratando-se de uma pandemia em escala global, torna-se injustificável o aumento dos preços. Não se pode aplicar, num panorama de grave crise sanitária e humanitária, conceitos econômicos comuns de elevação de preços. O momento exige sensibilidade social e econômica de todos os agentes que compõe o setor da saúde.


O kit entubação é essencial para os tratamentos aplicados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) destinadas aos pacientes afetados pela COVID-19. A falta de tais medicamentos afeta a eficiência dos tratamentos aplicados contra a doença.


Em dezenas dos hospitais integrantes da Federação das Santas Casas, Hospitais Beneficente, Filantrópicos e Religiosos do estado há falta dos medicamentos, afetando a saúde e ameaçando a vida dos pacientes.


Assim, a Famurs e a Federação das Santas Casas manifestam, conjuntamente, profunda aflição com tal situação, e requerem à sociedade gaúcha e brasileira sensibilidade em relação a tal carência.
Saudações municipalistas.

Eduardo Russomano Freire
Presidente FAMURS

 André Emílio Lagemann
Presidente da Federação das Santas Casas do RS

Confira a nota completa assinada pelas entidades