Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Novo plano de saúde foca público acima de 49 anos

Novo plano de saúde foca público acima de 49 anos

Apresentado por seus idealizadores como produto sem similar no mercado brasileiro, e talvez mundial, o plano Maturidade Max é resultado de uma parceria entre a operadora Fátima Saúde, o Hospital Saúde e o Alfa Laboratório, empresas com sede em Caxias do Sul. O produto, que estará à disposição do mercado a partir de 9 de setembro, tem foco exclusivo no público com idade acima dos 49 anos. A proposta é garantir atendimento de qualidade com custo até 40% menor que o praticado atualmente no mercado.
De acordo com o diretor do Fátima Saúde, Roberto Zottis, o modelo atual de operação dos planos chegou ao seu limite de sustentação econômica. “Está muito difícil equacionar os custos crescentes do serviço com a renda das pessoas mais maduras, especialmente nos planos familiares”, explicou.
Zottis argumentou que a inflação da área da saúde supera de quatro a cinco vezes a geral e os reajustes autorizados pela Agência Nacional de Saúde (ANS) não cobrem os custos. Ao mesmo tempo, o índice é sempre superior ao aumento dos salários ou das aposentadorias. Neste ano, foi de 7,35%. “Foi mais político do que técnico”, definiu o diretor, reconhecendo, no entanto, que prejudica os operadores e os clientes. “Algumas operadoras já suspenderam novas vendas de planos familiares para este público, porque o equilíbrio é complexo”, enfatizou.
O diretor citou que, atualmente, o estado já tem 31% de sua população com habitantes acima dos 50 anos, parcela que deve chegar a 48% nas próximas quatro décadas. “No longo prazo, não há perspectiva de cobertura destes custos”, reforçou.
Zottis explicou que o principal diferencial na nova relação é que os três atores serão sócios na operação – na forma de contrato e não por meio de uma pessoa jurídica. Portanto, buscam objetivos comuns, que garantam atendimento de qualidade, a um preço menor, e com maior eficiência e celeridade.
Os futuros usuários do plano terão de 30 a 40 médicos clínicos para o atendimento inicial, em espaço específico no prédio do antigo Hospital Del Mese, no Centro da cidade, onde o Fátima Saúde já oferece outros serviços. O funcionamento será em horário comercial, mas com possibilidade de extensão à noite caso a demanda justifique. “Também poderemos aumentar o quadro de profissionais”, antecipa Zottis. Já os exames serão todos realizados no Alfa Laboratório e as internações, no Hospital Saúde, que também fará os atendimentos de urgência e emergência.
Os médicos especialistas poderão vir a ser os que já atendem pelo Fátima Saúde, desde que alinhados com a nova visão do plano. “É provável que a rede ganhe outros profissionais”, comentou. De acordo com o diretor, uma das grandes vantagens do modelo é que haverá um prontuário único por paciente, acessível a todos os envolvidos. “Estamos resgatando o médico de família do passado”, salienta. Na avaliação de Zottis, é possível que, futuramente, sejam firmadas novas parcerias, ampliando a cobertura dos serviços prestados.
Para o diretor, um dos grandes desafios será mudar a cultura do usuário, que hoje tem total liberdade para escolha de médicos e laboratórios. Reconhece que, aparentemente, trata-se de uma restrição. Mas pondera que esta visão não é real. “Mais do que resolver problemas, o médico de referência é o elo entre o paciente e os responsáveis pelo atendimento, no caso de especialistas. Este profissional gerencia a saúde do paciente”, reforça.
Um dos problemas no modelo atual é, segundo Zottis, a rede credenciada em que os prestadores de serviços atuam como ilhas, sem integração entre si. Afirma que esta condição eleva os custos na cadeia total dos serviços. “Nosso objetivo é limpar os excessos e aplicar na qualidade”, salienta. Destacou que a proposta vai na contramão do praticado habitualmente, que é de verticalização dos processos.

Como são os valores?

Os valores são definidos em função de idades. Os planos individuais começam em R$ 430,37 para quem tem entre 49 e 53 anos; R$ 537,96 entre 54 e 58 anos; e R$ 768,74 a partir de 59 anos. A operadora também ofertará planos familiares, e o usuário terá a garantia de atendimento quando estiver fora da cidade, assim como ocorre atualmente. Na avaliação de Roberto Zottis, a ideia pode, no futuro, ser estendida para outras idades.
A partir do lançamento, os primeiros 500 contratos que efetivarem a adesão, terão desconto de 10% nos primeiros seis meses de mensalidade. A perspectiva de Zottis é que esse lote seja comercializado no prazo de dois a três meses. Ele reconhece ser possível uma forte migração deste público já atendido pela operadora para o novo plano, gerando, inicialmente, uma perda de receita. “Mas queremos é atrair novos usuários.” O reajuste do plano seguirá as normas da Agência Nacional de Saúde.
Fonte: Jornal do Comércio

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado