Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Santa Casa de Uruguaiana busca estimular doação de órgãos

Santa Casa de Uruguaiana busca estimular doação de órgãos

A Santa Casa de Caridade de Uruguaiana deu início a uma campanha de incentivo à doação de órgãos, desenvolvida durante todo o mês de setembro, incluindo mateada, palestras e participação em partida da Associação Esportiva Uruguaianense. O projeto é uma alusão ao 27 de setembro, Dia Nacional da Doação de Órgãos. A instituição é captadora de órgãos e tecidos.

Ao longo do Setembro Verde, o hospital realizará ações para conscientizar a população sobre a importância da doação de órgãos. O objetivo é incentivar a declarar aos familiares e amigos a intenção de ser um doador, uma vez que a doação só ocorre com autorização dos parentes próximos. Daí a importância de se trazer o assunto para o debate familiar e expressar o desejo de se tornar doador.

Atualmente, a negativa familiar é o principal motivo para que a doação não aconteça. “Essa é uma causa que estamos abraçando com muito afinco. É preciso conscientizar a todos sobre a importância e lembrar que daqui só se leva o amor. A doação é um ato que salva vidas, é um ato de amor”, diz a gestora administrativa da Santa Casa, Thaís Aramburu.

A doação pode ser de órgãos como rim, fígado, coração, pâncreas e pulmão ou de tecidos como córnea, pele, ossos, válvulas cardíacas, cartilagem, medula óssea e sangue de cordão umbilical. Um único doador pode salvar oito pacientes e melhorar a qualidade de vida e bem-estar de outros tantos. Também é possível a doação entre vivos, no caso de órgãos duplos, como os rins. No caso do fígado e do pulmão, também é possível o transplante entre vivos, sendo que apenas uma parte do órgão do doador poderá ser transplantada no receptor.

O “doador vivo” é considerado uma pessoa em boas condições de saúde, de acordo com avaliação médica, capaz juridicamente e que concorde com a doação. Conforme a legislação brasileira, pais, irmãos, filhos, avós, tios e primos podem ser doadores. Não parentes podem ser doadores somente com autorização judicial.

A Santa Casa, de acordo com a direção, possui em sua estrutura interna comissões temáticas que garantem, de forma progressiva e planejada, a melhoria da qualidade na atenção à saúde no âmbito institucional. Uma delas é a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (Cihdott). O grupo multiprofissional é responsável pela captação de órgãos no hospital, que atua quando há a constatação de morte encefálica agindo com a família do paciente.

Atividades

A programação inclui a participação em jogo de futsal da Associação Esportiva Uruguaianense, parceira da Santa Casa na iniciativa, no dia 17. Já em 25 de setembro, haverá palestra destacando a importância da doação de órgãos e o cenário atual do Estado e do país, no que tange à fila de espera por um órgão para transplante. O encontro com o médico pneumologista Luiz Fernando Cibin será na Biblioteca Municipal. No dia 29, acontece a mateada na praça Barão do Rio Branco.

Fonte: Correio do Povo

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado