Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Municípios do Sul do RS avaliam suspender envio de exames a laboratório investigado em Pelotas

O laboratório investigado em Pelotas por uma suposta fraude de exames de pré-câncer é credenciado em pelo menos outros oito municípios do Sul do Rio Grande do Sul: Arroio Grande, Chuí, Morro Redondo, Cerrito, Herval, Amaral Ferrador, Turuçu e Piratini. As prefeituras vão avaliar se permanecerão enviando exames ao laboratório.

Os prefeitos da região foram convocados pela Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) para uma reunião interna, nesta quinta-feira (19), na qual seria informado o número de exames enviados a Pelotas e discutir o encaminhamento que será dado para a questão. Por mês, mais de 500 análises são realizadas na região.

A secretária de saúde de Turuçu, Renata Rodrigues Coelho, informou que o município suspendeu o envio de exames ao laboratório SE – Serviço Especializado de Ginecologia por precaução. A cidade enviava, em média, 10 exames por semana. “Não notamos nenhuma irregularidade, nossas enfermeiras estiveram sempre bem atentas. Mas, para prevenir, resolvemos suspender até estarmos seguros. Estamos agora aguardando uma solução”, explica Renata.

A secretária de Saúde em exercício de Morro Redondo, Dolores Fabiane Aquino Ebeling, afirmou que o município ficou sabendo sobre o caso na segunda-feira (17). Por enquanto, a prefeitura remarcou as coletas de exames que estavam agendadas para a próxima semana até que se tenha uma posição mais definida sobre o assunto. Cerca de 120 exames são enviados por mês para Pelotas.

A associação pediu que os prefeitos levem para o encontro o maior número possível de informações sobre os exames de pré-câncer encaminhados pelos municípios. O pedido da reunião foi da prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, que assumiu, interinamente, a Secretaria Municipal de Saúde da cidade, após colocar a secretária Ana Costa em férias.

A orientação para suspender o envio das lâminas para Pelotas, partiu da Coordenadoria Regional de Saúde que, até sexta-feira, define onde os exames poderão ser feitos.

O caso

O memorando foi enviado no dia 4 de julho de 2017, por médicos e enfermeiros da unidade à secretária Municipal de Saúde Ana Lucia Costa, no qual os profissionais alertam sobre a inconformidade nos resultado dos exames preventivos do câncer de colo do útero. (Foto: Divulgação)O memorando foi enviado no dia 4 de julho de 2017, por médicos e enfermeiros da unidade à secretária Municipal de Saúde Ana Lucia Costa, no qual os profissionais alertam sobre a inconformidade nos resultado dos exames preventivos do câncer de colo do útero. (Foto: Divulgação)

O memorando foi enviado no dia 4 de julho de 2017, por médicos e enfermeiros da unidade à secretária Municipal de Saúde Ana Lucia Costa, no qual os profissionais alertam sobre a inconformidade nos resultado dos exames preventivos do câncer de colo do útero. (Foto: Divulgação)

Um memorando, assinado por médicos e enfermeiros de uma unidade de saúde de Pelotas, informa que o laboratório responsável pela execução dos exames citopatológicos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) do município, que detecta lesões pré-cancerosas e cancerosas no colo do útero, estaria realizando os resultados por amostragem, em vez de analisar todos os laudos. O documento havia sido enviado para a Secretaria de Saúde do município em julho do ano passado.

Na semana passada, o Ministério Público deu início a um inquérito para apurar o caso, e a Polícia Federal também deve investigar as possíveis irregularidades.

A prefeita de Pelotas determinou a abertura de uma sindicância para apurar as possíveis irregularidades. Além disso, a Câmara de Vereadores de Pelotas instaurou na terça uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeita de fraude nos exames. Marcos Ferreira (PT), autor da proposta, conseguiu as 18 assinaturas necessárias para dar andamento ao inquérito.

Nota de esclarecimento do laboratório

O Laboratório SE – Serviço Especializado de Ginecologia vem a público declarar que:

1. NUNCA deixou, sequer, de fazer uma análise enviada pelas UBS de Pelotas e região nos 40 anos que atende a rede pública de saúde.

2. Tem guardadas TODAS as lâminas examinadas, conforme manda a lei, e à disposição de todas as autoridades.

3. Manifesta total apoio à instalação de uma CPI na Câmara de Vereadores para que se demonstre todo o processo de exames pré-câncer, desde a coleta de material na UBS até a entrega do laudo à usuária.

4. Solicitará ao Ministério Público que providencie investigação rigorosa acerca do que foi veiculado em jornal local.

5. Por fim, pede às mulheres que não deixem de realizar os exames pré-câncer e acreditar no Programa, pois tudo será devidamente esclarecido.

Fonte: G1/RS

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado