Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Falta de repasses do governo do RS gera redução nos atendimentos da Santa Casa de Uruguaiana

Falta de repasses do governo do RS gera redução nos atendimentos da Santa Casa de Uruguaiana

A Santa Casa de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, começou a restringir os atendimentos nesta quarta-feira (5). O motivo apontado foi o atraso nos repasses do governo do estado. A direção da instituição afirma que a dívida já supera os R$ 3 milhões.

O hospital só está realizando os serviços de cirurgias eletivas, internações, consultas ambulatoriais e exames de imagem. A suspensão é por tempo indeterminado ou até que os repasses sejam regularizados. De acordo com a administração da instituição, isso foi necessário para que seja possível manter em funcionamento, pelo menos, a urgência e emergência do hospital.

A Santa Casa é referência para 13 municípios da região, principalmente nas áreas de psiquiatria, cardiologia e oncologia. Com a redução nos atendimentos, a instituição não recebe mais novos pacientes com câncer.

Quem foi ao hospital na manhã desta quarta em busca de atendimento já enfrentou dificuldades. O aposentado Claudio Cézar de Barros tentou marcar um raio-X para a esposa, que sofre de problemas na coluna, sem sucesso.

“Ela precisa desse raio-X, é um da coluna lombar, cervical, os exames que ela precisa. Infelizmente, eu não consegui e digo mais a toda a população de Uruguaiana: a Santa Casa não tem condições”, explica o aposentado.

Agora, o hospital aguarda parte dos R$ 80 milhões anunciados na terça-feira (4) pelo governo do estado. Enquanto isso, a instituição criou um comitê de crise para tentar buscar alternativas para essa situação financeira.

O governo do estado afirmou ao G1 que, como a Santa Casa de Caridade de Uruguaiana tem contrato com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), está notificando a instituição para manter os atendimentos acordados.

Enquanto isso, a SES está providenciando o deslocamento de pacientes para atendimento em outros locais. Atendimento em cardiologia, por exemplo, será deslocado para Passo Fundo.

A SES projeta efetuar o pagamento correspondente a uma parcela na primeira quinzena de dezembro.

Paralisação em Canoas

Paralisação foi motivada pelo atraso no pagamento dos salários e do 13º — Foto: Reprodução/RBS TVParalisação foi motivada pelo atraso no pagamento dos salários e do 13º — Foto: Reprodução/RBS TV

Paralisação foi motivada pelo atraso no pagamento dos salários e do 13º — Foto: Reprodução/RBS TV

Em Canoas, na Região Metropolina de Porto Alegre, trabalhadores do Hospital Universitário e do HPS anunciaram paralisação e fizeram um protesto nesta quarta-feira contra o atraso no pagamento dos salários e do 13º pagos pelo Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (GAMP).

Enfermeiros, profissionais de nível médio, de radiologia e farmacêuticos aderiram à paralisação, que segue até quinta-feira (6), quando uma nova assembleia da categoria será feita.

Fonte: G1 RS

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado