Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Atraso nos repasses do Estado faz com que funcionários do Hospital de Agudo paralisem as atividades

Atraso nos repasses do Estado faz com que funcionários do Hospital de Agudo paralisem as atividades

O Hospital de Agudo, na Região Central, paralisou as atividades por conta da falta de repasses do governo do Estado. São cerca de 70 profissionais, entre médicos, enfermeiros e colaboradores dos setores administrativos, que se manifestaram contra o atraso nos salários, ainda na última sexta-feira (30).

Conforme a administração da unidade, o Estado deve mais de R$ 700 mil à instituição e, por isso, há o atraso no pagamento dos vencimentos há dois meses. Alguns profissionais não receberam ainda o valor referente a férias e sequer há previsão de receber o 13°. A unidade também tem dívidas que totalizam mais de R$ 2 milhões com fornecedores de medicamentos e materiais hospitalares. Em decorrência dos atrasos nos repasses, o hospital se forçou a buscar empréstimos bancários, mas agora a situação chegou ao limite, avalia a administração.

Ao todo, são 55 leitos de baixa e média complexidade. O hospital tem 85% dos leitos conveniados com o Sistema Único de Saúde. Os serviços de exame e cirurgias feitos pelo SUS foram cancelados, assim como as internações que estão suspensas. A unidade, agora, só atende casos de urgência e com horário definido: das 19h às 7h. Fora desse horário, resta à população buscar as unidades de saúde.

Além disso, os mais de 40 municípios da região central do Estado vinculados à 4° Coordenadoria Regional da Saúde (4ª CRS), que têm no Hospital de Agudo a referência para atendimentos de otorrinolaringologia, também estão sendo afetados pela paralisação.

Os pacientes que seriam atendidos na unidade e não tem urgência devem ser encaminhados ao Hospital Universitário de Santa Maria (Husm). Não há previsão de retomar os atendimentos.

Fonte: Gaúcha ZH

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado