Associado, acesse sua conta

conteúdo exclusivo para você.

Após morte por gripe, Hospital de Tupanciretã restringe visitas para evitar proliferação do vírus

Após morte por gripe, Hospital de Tupanciretã restringe visitas para evitar proliferação do vírus

Depois da confirmação da morte de um menino de 12 anos por gripe em Tupanciretã, na Região Central do Estado, a administração do Hospital de Caridade Brasilina Terra decidiu restringir as visitas na unidade. O objetivo é evitar a proliferação do vírus Influenza, causador da gripe.

Conforme a gestora presidente do hospital, Alanna Matos, outras duas pessoas suspeitas de estarem com gripe foram atendidas no hospital. Uma delas já recebeu alta e, a outra, segue internada. Porém, não se tem confirmação se a doença que acometeu as duas tenha sido a gripe.

A gestora afirma que, depois da confirmação da morte do menino, houve uma espécie de pavor coletivo na cidade, o que motivou a restrição nas visitas. Os moradores chegaram a buscar, no hospital, o remédio Tamiflu, usado para o tratamento da gripe, mesmo sem sintomas ou prescrição médica. Alanna Matos reforça que o medicamento só deve ser usado com indicação profissional, e que os moradores podem buscar em unidades de saúde a vacina contra a gripe. Na cidade, 90% da meta foi atingida nos grupos prioritários durante a Campanha Nacional de Vacinação.

Por conta da restrição, agora os pacientes poderão apenas contar apenas com o acompanhante. A situação deve seguir pelo menos enquanto estiver frio.

Depois da confirmação da morte do garoto, na segunda-feira (2), familiares e colegas  foram imunizados contra o vírus.

Fonte: Gaúcha ZH

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado